sexta-feira, 31 de agosto de 2007

O PRIMEIRO DIA



A principio é simples, anda-se sozinho

passa-se nas ruas bem devagarinho

está-se bem no silêncio e no burburinho

bebe-se as certezas num copo de vinho

e vem-nos à memória uma frase batida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida


Pouco a pouco o passo faz-se vagabundo

dá-se a volta ao medo, dá-se a volta ao mundo

diz-se do passado, que está moribundo

bebe-se o alento num copo sem fundo

e vem-nos à memória uma frase batida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida


E é então que amigos nos oferecem leito

entra-se cansado e sai-se refeito

luta-se por tudo o que se leva a peito

bebe-se, come-se e alguém nos diz: bom proveito

e vem-nos à memória uma frase batida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida


Depois vêm cansaços e o corpo fraqueja

olha-se para dentro e já pouco sobeja

pede-se o descanso, por curto que seja

apagam-se dúvidas num mar de cerveja

e vem-nos à memória uma frase batida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida


Enfim duma escolha faz-se um desafio

enfrenta-se a vida de fio a pavio

navega-se sem mar, sem vela ou navio

bebe-se a coragem até dum copo vazio

e vem-nos à memória uma frase batida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida


E entretanto o tempo fez cinza da brasa

e outra maré cheia virá da maré vazia

nasce um novo dia e no braço outra asa

brinda-se aos amores com o vinho da casa

e vem-nos à memória uma frase batida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida.


(Sérgio Godinho)

1 comentário:

evelise disse...

Gosto muito deste texto que aqui publicaste. Sou fanzoca de carteirinha do SÉRGIO GODINHO. acho que ele uns milésimos abaixo do Chico Buraque, de quem sou incondicional, é o melhor letrista de lingua portuguesa. Ouvindo "Lisboa que amanhece" ao longo de anos nunca me cansei. Na sua mais recente versão do "Irmão do meio" é cantada pelo Caetano, que não sendo pessoa da minha simpatia, tenho que concordar que tem uma voz com uma plástica muito particular.É uma delicia ouvir esta versão.
Já agora se tiveres oportunidade e se gostares do Chico ouve "Suburbios" do último disco "Carioca". Tem uma fraze que eu acho altamente descritiva e extraordinária mesmo, também porque nunca tinha pensado na prespectiva da vista das favelas cariocas sobre a cidade, (o nosso olhar é na prespectiva diametralmente oposta)que diz simplesmente "... Lá tem Jesus, mas está de costas..."