sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Crianças: as preciosidades do mundo

As sessões de radioterapia estão a correr bem, e felizmente, não tenho apanhado secas. Numa hora tou livre, já com tempo de espera e sessão. Amanhã lá vou eu, mesmo sendo sábado. É que eu comecei numa terça e tenho que fazer 5 por semana.
O que me tem custado mesmo é ver crianças doentes, à espera do tratamento. Hoje vim de lá particularmente triste. Custa tanto ver aquelas criaturas inocentes.... não sou mãe, e nem sei o que é para uma mãe ou um pai saber que o filho está doente, e que para ele ficar bom precisa de passar por uma experiência dessas.
Soube hoje que as crianças são anestesiadas todos os dias para se conseguir fazer a radioterapia nelas! Vieram-me as lágrimas aos olhos, quando a técnica me disse isso.
Ser criança significa correr, brincar, comer gelados e bolachas, e não andar em hospitais, tratamentos, seringas!

Aproveito aqui para desejar as melhoras a todas crianças, que tudo corra pelo melhor!

7 comentários:

Lígia disse...

Olá Loulou, também eu estou a recuperar, mas de um Linfoma. Desculpe entrar sem bater, gostaria que soubesse que os meus pensamentos estão consigo e que acredito que vai vencer. Soube que estava doente também em Janeiro, mas a 18. Felizmente fiz 3 meses intensivos de quimio e parece que o pior, por agora passou. Tenho 29 anos e percebo o que está a passar. Quando quizer venha visitar-me em http://quimio-gigi.blog.com. Bjs. Gigi.

laura disse...

.....
Também eu não consigo aceitar as crianças doentes.

Nunca fui capaz de ajudar nas pediatrias. Não é natural um ser pequenino sofrer. Temos de aceitar, não é? Mas onde vamos buscar palavras para aliviar um pai, uma mãe do sofrimento dum filho...

Não quero, por motivos religiosos continuar com o tema...posso ofender alguém.... mas que Ele de vez em quando dá umas cochiladas dá.

Tenta ser feliz. laura

aida guimarães disse...

Olá Loulou

Nem me fales.... ver crianças doentes é do pior.

Quando estive em Novembro em Fátima, vi um pequenito, devia ter uns 2 anos, tinha máscara, estava careca e feliz. Naquele momento só me apeteceu chorar e até me esqueci de mim. Eu estava ali por mim, mas naquele momento só pensei e rezei por aquela criança e por os pais. Afinal o problema deles era bem maior que o meu.

Ainda bem que tudo corre bem contigo

Beijos grandes

Obs: Não te esqueças de confirmar a tua presença no almoço.
Não tenho o teu mail, mas já deixei aqui o meu.

Manuela disse...

A Loulou já confirmou...!

A aprendizagem mais difícil é mesmo com as crianças... e qauando digo aprendizagem, refiro-me à nossa. Pois a grande lição que elas nos dão é a de viver no momento. Elas choram quando algo lhes doi, mas isso passa e o choro passa. Nenhuma fica a pensar no que vai acontecer com os tratamentos, se vai resultar... Não, elas aproveitam o tempo em que se sentem bem para.. brincar!

Quiando sou assaltada pelo medo, é nisso que penso. Ajuda-me a aproveiar o que tenho.

Eu conheço uma criança grande que faz isoo. E vocês também. A Anixinha! Ela quando soube que tinha problemas extensíveis aos pulmões foi nadar com os golfinhos. Querem melhor?

Por todas estas lições, eu agradeço. Aré agradeço ao cancro, pois sem ele não tinha vivido e aprendido tudo isto. Bom, mas ele que fique lá longe... Eu já percebi, oh bicho! Podes ir!

Golfinho Filipa disse...

Ol�... Vim aqui parar atrav�s do blog da minha amiga Gigi, mas tamb�m j� a tinha visto pelo Super Glamorosas, cujo link me foi enviado por e-mail. Quero deixar-lhe um beijinho muito grande e desejar que essa for�a que mostra n�o a abandone nunca!

Loulou disse...

Olá Golfinho Filipa,
Muito obrigada pela mensagem deixada aqui. Volte quando quiser, mas com uma condição: trate-me por TUUUU!!! :-)

Uma grande beijoca

Anónimo disse...

desde já peço desculpa por ter vindo ler o seu blogue... sou ainda uma tenra pessoa, com pouca experiência de vida, tou a completar os meus 18 aninhos... felizmente a vida ainda não me trouxe uma dor tão profunda e cruel como a sua, mas faz parte do meu emissário de preocupações...
as crianças são o que realmente me preenche e o q me leva a querer seguir algo no meio delas... em conjunto com amigos estou a criar um projecto com crianças doentes, "um sorriso de esperança", onde esperemos poder apoiar, dar um pouco do nosso calor, do nosso afecto enquanto seres cheios de amor para oferecer. Espero tudo de melhor... não resisti não poder deixar aqui o meu simples carinho

o meu e-mail: icruz_cbr@hotmail.com