terça-feira, 30 de outubro de 2007

Dia Nacional da Prevenção do Cancro da Mama

Comemora-se em todo o país o dia nacional da prevenção do cancro da mama.É uma das mais graves ameaças à vida e saúde das mulheres. Em Portugal são diagnosticados cerca de 3500 novos casos.
O papel da prevenção reside fundamentalmente no diagnóstico precoce, pois o processo causador da doença é muito complexo e são responsáveis não apenas um factor, mas sim múltiplos e variados factores que nos rodeiam.
O diagnóstico precoce do cancro da mama é fundamental para a cura da doença.
Assim as recomendações mundiais assentam unanimemente na realização periódica de Mamografias , para que em casos desenvolvimento de um tumor, o diagnosticado se faça numa fase muito inicial e curável.
Geralmente o cancro da mama é traiçoeiro no seu desenvolvimento, não dá sintomas e só mais tarde pelo seu crescimento agressivo vai envolvendo as estruturas vizinhas e torna-se palpável.
Assim, alem da Mamografia, o auto-exame mamário realizado pela mulher é fundamental para conhecer a forma da glândula e detectar alguma alteração e procurar o sem médico de imediato.
A idade de início de Mamografia para um verdadeiro rastreio de mulheres sem sintomas deverá ser iniciado aos 45-50 anos e periodicamente.
Há famílias, onde se assiste a cancro da mama que atingem vários membros assumindo características específicas devendo todas as mulheres serem submetidas a rigoroso controlo mais periódico ou realização de testes genéticos.
A mensagem fundamental é diagnosticar cada vez mais cedo, para a cirurgia realizar a cura do cancro.
Muito se tem progredido nos diagnósticos precoces mas estamos ainda longe de atingir o ideal.As campanhas de sensibilização para o rastreio, mesmo com a convocação das mulheres oficialmente para o efeito, apenas colaboram cerca de 60%. Contudo, graças aos rastreios cada mais divulgados, tem aumentado o diagnóstico de tumores mais precoces.
Nestes casos, é actualmente possível realizar cirurgias menos agressivas e não mutilantes para a mulher.Estamos na era da cirurgia minimamente invasiva, isto é, a cirurgia que poupa a glândula mamária.
A evolução da técnica na Cirurgia do Cancro da Mama levou a introduzir recentemente uma nova metodologia na abordagem cirúrgica.Esta nova era na Cirurgia do Cancro da Mama merece uma divulgação desta nova tecnologia com processos técnicos inovadores menos invasivos, menos mutilantes, com uma melhor qualidade de vida no pós-operatório, redução do tempo de internamento e das consequências crónicas induzida aos doentes pela mutilação agressiva.
Actualmente uma mulher com um diagnóstico precoce, realizará a cirurgia mínima da mama e da axila com internamento de 24-48 horas podendo retomar a sua actividade regular.
O objectivo é pesquisar gânglios axilares durante a cirurgia, que não sendo ainda atingidos pela doença se evitem grandes agressões na axila desnecessários. É a cirurgia denominada de Gânglio Sentinela.Esta cirurgia é ainda apenas realizadas em alguns centros de referência de cirurgia de cancro, pois exige uma técnica especializada e uma equipe de vários especialistas envolvidos com experiência.
Assim a cirurgia permanece o mais efectivo tratamento do cancro da mama e continua a ser cada vez mais a realização da cirurgia conservadora ao longo deste últimos anos, e será cada vez mais realizada quanto mais precoce o diagnóstico for realizado.

Texto: Dr. Fleming de Oliveira

Director do Departamento de Cirurgia

Director da Unidade de Patologia Mamária

Hospital Pedro Hispano - Matosinhos

9 comentários:

Aida guimarães disse...

Olá Loulou,

Ficamos mais sensiveis a todas estas notícias!!
Com a nossa experiência também podemos ajudar quem nós conhecemos.

O Dr.Fleming é o director da cirurgia mamária no Hospital Pedro Hispano. Foi ele que decidiu operar-me. É um "expert" em cancro da mama. Também já pertenceu à direcção do IPO daqui do Porto. Apesar de já não ser novo, é super simpático e atencioso. Ainda existem médicos assim!!!
Eu só tenho encontrado boas pessoas e bons profissionais neste hospital.

Obrigada por mais esta informação.

Beijos grandes

Lígia disse...

Loulou,

também eu te agredeço toda a informação disponibilizada. Agora que me sinto melhor, ando um bocadito preocupada com a minha mãe que se tem baldado ao rastreio do cancro da mama. A minha mãe tem quase 50 mocas e segundo ouvi, parece que em alguns casos o cancro da mama é hereditário o que faz dela um grupo de risco, já que a minha avó morreu com cancro da mama ( mas já foi à 25 anos). Portanto vou partilar com ela esta informação. Bjs Gigi.

Lia disse...

Olá Loulou,chamo-me Lia fui operada a 3 anos e tal,penso que a minha cirugia tenha sido baseada,nessa metodologia...tenho te vesitado,e sinto que és uma guerreira!força!vem vesitar-me beijinhos
http://revolucaodaalma.blogs.sapo.pt

MARILU disse...

BEIJINHOS LOULOU E BOM FIM DE SEMANA PARA TODAS VÓS TUDO DE BOM LINDAS

Anónimo disse...

Olá Loulou, a minha operação foi realizada com essa técnica por isso foi feita em 2 fases pois no meu caso alguma coisa falhou ( se calhar o factor sorte )e o gãnglio sentinela deu positivo dai a segunda operação para o esvaziamento da axila. Na primeira operação foi só tirado o sentinela que dando negativo o que normalmente acontece não teria sido necessário a 2 operação. Entre mais de 20 operações feitas pelo meu médico com está técnica só a minha análise foi positiva e por isso a minha axila não pode ser poupada.A cirurgia é feita com a ajuda dum aparelho que não recordo o nome que sinaliza sempre que houver celulas positivas no meu caso fui a excepção pois tudo parecia ter corrido bem.Mas pronto já passou e agora que venha o resto, gaja que é gaja está sempre pronta para o que vem a seguir. Beijocas grandes e tudo a correr bem. Carmo

imel disse...

Olá Loulou,

Sim é verdade, por vezes o cancro da mama apanha varias gerações. Foi o meu caso. A minha mãe faleceu de cancro da mama há 12 anos. Eu faço mamografias desde os 35 anos no Dr. Fernando Lage, uma sumidade na materia.E foi ele que percebeu logo quando fiz esta ultima mamografia. Pois eu não sentia nada de anormal. E não foi por falta de cuidado. É mesmo uma doença traiçoeira. O meu tumor era pequeno mas muito agressivo. Retiraram-me 13 ganglios, dos quais 5 estavam infectados. Isso desde sempre que me assustou. Tem o gene HER2+ que o torna ainda mais agressivo e não é hormono dependente, por isso nem posso tomar o tamoxifeno. Resta.me a quimio, o herceptin e a radio. É assustador. Tenho medo, claro, todos dizem que era muito agressivo. Fico gelada. Seja o que Deus quiser. Eu estou a fazer o que posso, lutar com todas as forças que tenho.

Bjocas e boa sorte

Loulou disse...

Lia, bem-vinda ao meu blog. Volta mais vezes.

Beijos grandes

Imel, o meu tb é desses mauzinhos, agressivos. E a idade não ajuda nada... mas vai tudo correr bem connosco, eu sei, tenho a certeza absoluta!

Grandes beijos

imel disse...

Ola Loulou,

Quero acreditar que sim, que tudo vai correr bem connosco.

Desde que fiz a ultima quimio, que tenho dores nas costas. Já me estou a passar. Sexta tenho consulta e herceptin na dose ajustada para as 3 semanas. Vamos ver.

Bjocas grandes

Anónimo disse...

ler todo o blog, muito bom